MIGUEL COUTO: Sinpro-Rio questiona URCA sobre passivos trabalhistas em reunião de 07/02

Notícias

O Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-Rio) continua em processo de negociação com a empresa URCA, que siteistra, atualmente, o grupo Miguel Couto.

A empresa ajuizou uma Recuperação Judicial, deferida no Processo 0020395-10.2020.8.19.001, na 3ª Vara Empresarial do TJ-RJ. Neste novo quadro, o Sinpro-Rio questionou, na reunião do dia 07/02, a empresa URCA sobre os passivos trabalhistas dos professores e professoras demitidos/as e daqueles/as que ainda se mantém empregados/as na empresa Miguel Couto.

A representação da URCA reconhece que as homologações dos contratos de trabalho têm que ser feitas no sindicato e que irá se posicionar, o mais rápido possível, quanto à realização das rescisões.

Tão logo a URCA tenha a documentação das rescisões prontas, chamaremos uma assembleia com os professores e professoras demitidos/as, quando esclareceremos as dúvidas jurídicas e o processo de rescisão.

Quanto aos professores/as que permanecem trabalhando e recebendo os atuais valores da hora-aula, a empresa se compromete a mantê-los em dia e a negociar uma forma de compensação das perdas.

O Sinpro-Rio chamará uma assembleia que avaliará a proposta patronal, esclarecerá possíveis dúvidas e avaliará possíveis propostas dos professores.

A próxima reunião ainda não tem data específica, mas o Sinpro-Rio não deixará que seja em momento muito distante e pressionará a URCA ainda essa semana para a data mais próxima. Nesse momento, a união de todos e todas os/as demitidos/as e os que ainda estão na empresa será vital para a vitória da categoria. Estamos juntos/as.

Diretoria do Sinpro-Rio

  • Para ler a matéria da reunião entre o Sinpro-Rio e o Colégio Miguel Couto no dia 27 de janeiro, clique AQUI!